Refinaria reduz capacidade operacional e produção da emulsão asfáltica fica comprometida

Emulsão básica do asfalto sofreu redução drástica na Bahia

A Refinaria Landulpho Alves, localizada em município da Região Metropolitana de Salvador, está operando com cerca de 50% de sua capacidade e, em razão disso, obras em execução nas rodovias estaduais e, também,  na pavimentação ou restauração de vias urbanas pelas prefeituras, está comprometida. O jornalista Levi Vasconcelos, na coluna Tempo Presente, que assina no jornal A Tarde, publicou neste sábado, 23, que “obras em estradas estaduais estão paradas porque a Petrobras não consegue entregar os pedidos de asfalto feitos pelo governo, que por conta disso está sendo obrigado a comprar em Minas, Pernambuco e Rio, pagando o frete, o que encarece essas obras”. Está sendo acrescentada à informação publicada que, “historicamente quando há redução do refino de petróleo, os derivados, como é o caso da emulsão básica do asfalto, caem de produção”. Por conta de o Brasil ter liberado a importação de derivados de petróleo sem maiores barreiras, foi provocada uma queda pela metade, no refino, por parte da Refinaria baiana. Alguns políticos que integram a base aliada do governador Rui Costa, são de opinião de que a situação decorre de uma retaliação do governo Michel Temer, ao grupo que lhe faz oposição na Bahia. A suposição é de que os chamados “banhos de asfalto”, que estão sendo prometidos por muitas prefeituras,  caso que inclui Jequié, terá que aguardar por mais um tempinho…

One Response to Refinaria reduz capacidade operacional e produção da emulsão asfáltica fica comprometida

  1. Carlos Coqueiro disse:

    POBRE BAHIA! AÍ ESTÁ O RESULTADO DE SE ELEGER GOVERNADOR E REPRESENTANTES ESTADUAIS E FEDERAIS SEM NENHUMA EXPRESSÃO POLÍTICA. ISTO VEM ACONTECENDO EM TODOS OS SETORES DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO E ATÉ NO TURISMO DO NOSSO ESTADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *