Leur Júnior minimiza “efeito Geddel” no PMDB e defende o partido na majoritária de ACM Neto

Leur Júnior vislumbra possibilidades de ser candidato a deputado federal, senador ou vice-governador

Em entrevista que concedeu ao site Bahia Notícias, em Salvador, o deputado estadual Leur Lomanto Júnior (PMDB), adotou um comentário ameno com relação as acusações que pairam sobre a ex-maior liderança peemedebista no estado, Geddel Vieira Lima [preso pela Polícia Federal no dia 8 de setembro, após ter sido encontradas em um apartamento alugado a ele, malas e sacolas com R$ 51 milhões]. “Eu sempre disse que o PMDB é maior do que qualquer nome ou qualquer pessoa. Se Geddel cometeu algo, ele vai ter que responder pelo que cometeu”. Na avaliação de Leur Júnior, o PMDB continua tendo força para pleitear um espaço na majoritária tendo citado como grande lideranças da sigla na Bahia, os cinco deputados estaduais,  o prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, o vice-prefeito de Feira, Colbert Martins, o vice-prefeito de Itabuna, Fernando Vita e o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, ”então temos uma musculatura grande para participar de qualquer chapa majoritária”, disse. Leur revelou ainda não acreditar que o PMDB tenha potencial para bancar uma candidatura própria ao governo do Estado caso a sigla fique de fora da chapa majoritária encabeçada pelo DEM. O líder oposicionista admitiu que está pavimentando voos maiores para 2018: quer subir mais um degrau na carreira política e ser deputado federal. Entretanto, não descartou a hipótese de integrar a chapa de Neto como candidato a senador ou até vice-governador. Tudo, no entanto, vai depender da demanda do partido. “O meu nome vai estar sempre à disposição para representar o partido em qualquer posição que ele almeja”, afirmou.

3 Responses to Leur Júnior minimiza “efeito Geddel” no PMDB e defende o partido na majoritária de ACM Neto

  1. Gilberto Silva disse:

    Ops, acirrado.

  2. Gean disse:

    Desculpa Deputado mais esta declaração é muito confusa “o PMDB é maior que qualquer nome” quando se faz uma boa administração é o partido e quanto se faz uma péssima administração que é o caso da última passagem do PMDB por Jequié é o candidato, você pode ser mais claro nas suas declarações para um leigo como eu entender

  3. Nelson Duarte disse:

    Uma vez golpista, sempre golpista!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *