Limpeza e retirada do lodo poderá reduzir odor na ETE de Jequié

A Estação de Tratamento de Esgoto da Embasa, que causa forte odor nas áreas da do Agarradinho e adjacência pode passar por limpeza nas lagoas de estabilização. Uma reunião com funcionários da prefeitura e da Embasa foi realizada para tratar da retirada do lodo existente nas sete lagoas da Estação. Na ocasião, foi exposta a realidade da ETE que, devido ao excesso de sujeira ocasiona forte mau cheiro em toda a região e faz com que se perca, ainda, o volume útil das lagoas de estabilização. Além de tudo, o lodo acumulado prejudica a eficiência do tratamento do esgoto e impede a instalação de 40 novos aeradores, que servem para incorporar o oxigênio à água em tratamento. Preocupada com a saúde da população e, desse modo, priorizando o seu bem-estar, a Prefeitura de Jequié, juntamente com a Embasa, iniciará a limpeza das lagoas, a retirada do lodo e a implantação de um cinturão verde; onde serão plantados eucaliptos no entorno das lagoas, em abril do próximo ano, para evitar a erosão do solo.

3 Responses to Limpeza e retirada do lodo poderá reduzir odor na ETE de Jequié

  1. Carlos Coqueiro disse:

    Seja que medida for tomada, só macara a incompetência de quem projetou e de quem liberou esta pouca vergonha, mais um “presente” da EMBASA ao povo de Jequié. ESTE NÃO É LUGAR PRÓPRIO PARA ESTA EXCRESCÊNCIA EXISTIR, e o Ministério Público bem o sabe. Se Dr. Maurício Cavalcante não age, só ele pode explicar.

  2. Thiago disse:

    Essa ETE foi uma das coisas mais estúpidas já feitas em Jequié, na direção do vento que sopra pra vários bairros, em uma área com imenso potencial de povoamento (à época). Na verdade, o fedor não é só na URBIS e adjacências. Pega um boa parte do Jequiezinho, vai até o Mandacaru, e às vezes até o Centro. Mais uma coisa, nessa cidade, pra reduzir a nossa já tão ruim qualidade de vida. Tomara que essa limpeza resolva alguma coisa, porque a solução mesmo é se tivesse sido construída em local adequado.

  3. Juraci José disse:

    Salvo engano, a primeira parte dessa estação de poluição ambiental foi construída em 1992 quando o Sr, Cesar Borges foi secretário do então Governador ACM (violador de Painéis) e naquele lugar já existiam os quatro conjuntos da URBIS e em total falta de respeito (como era de praxe do então governador) aos seres humanos que ali já mora moravam, em 1999 foi construída a segunda etapa quando o Sr. Cesar Borges era governador do estado. De lá até aqui nunca se observou qualquer limpeza ou manutenção das mesmas por parte da embasa mesmo tendo embolsado 80% dos valores das contas de água, agora não acho justo que o município participe dessa limpeza gastando os seus escassos recursos, além de entender que o mesmo não possui competência para tal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *