Bahia lidera ranking de homens jovens mortos por causas externas, segundo o IBGE

Segundo IBGE, Bahia lidera o ranking de homens jovens mortos por causas externas. (Foto: IBGE/divulgação CORREIO).

Em estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a  Bahia foi o estado brasileiro que teve o maior índice de registros de mortes de homens jovens (entre 15 a 24 anos) no ano de 2016. Os dados se referem a causas como homicídios, suicídios, acidentes de trânsito, afogamentos, quedas acidentais. De acordo com o índice do IBGE, 3.394 jovens morreram enquadrados em uma dessas categorias no estado.

Também de acordo com o IBGE, há dez anos o número de jovens mortos por causas externas ampliou e passou de 1.251 para 3.394 entre 2006 e 2016, em informações coletadas no site do Correio. Após o aumento, o índice chegou a 171,3%, e a Bahia ultrapassou o estado de São Paulo e chegou ao primeiro primeiro lugar na lista.

Segundo o IBGE, o índice de mortes de homens jovens aumentou de 13,4% entre os anos de 2006 e 2016 no Brasil, e cresceu de 23.792 para 26.989, em um total de 3.197. Desse total, 2.143 mortes (67%) aconteceram somente no estado da Bahia.

Segundo o estudo, o estado de São Paulo tinha o maior número absoluto de jovens mortos por causas externas, com 5.055, e a Bahia era o sexto no ranking, com 1.251 mortes. Atualmente, o estado teve uma queda de 36,5%, e tem 3.208 registros de mortes de homens jovens por causas externas, enquanto a Bahia ampliou o número e passou a liderar o ranking, com 3.394 jovens mortos.

Na lista, 10 estados conseguiram reduzir o quadro de jovens mortos por causas externas: São Paulo (-36,5%), Espírito Santo (-30,7%), Mato Grosso do Sul (-25,8%), Paraná (-25,7%), Rondônia (-22,9%), Distrito Federal (-21,9%), Rio de Janeiro (-16,4%), Santa Catarina (-11,6%), Pernambuco (-4,2%) e Minas Gerais (-0,7%).

One Response to Bahia lidera ranking de homens jovens mortos por causas externas, segundo o IBGE

  1. Miguel disse:

    Sorria, você está na Bahia! Contra números não há argumentos.Com a palavra o governo do estado. 2018 será ano de eleição e, novamente, overdose de propaganda enganosa, tentando vender a imagem de uma realidade que não existe, a não ser na cabeça destes políticos e marqueteiros responsáveis pela sangria de milhões e milhões que deveriam estar direcionados para as áreas essenciais da administração.Abramos os olhos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *