Category Archives: Política

DEM irá criar Executiva Nacional Provisória e discutir mudança de denominação

Prefeito ACM Neto (Salvador) é a principal liderança do DEM na Bahia

O DEM continua em busca de definir uma candidatura única do partido para a disputa da sucessão presidencial em 2018. Na sexta-feira (15), os demistas estarão reunidos em Brasília, participando da Convenção Nacional do partido, que vai aprovar uma resolução que determina a dissolução de todos os órgãos do partido, como parte do processo de abertura de espaços de poder na sigla para abrigar deputados dissidentes do PSB. No mesmo ato será criada uma Executiva Nacional Provisória, que ficará responsável pela reestruturação dos diretórios do DEM. Em parte deles, o comando partidário será mantido na atual configuração. Sobretudo em estados onde não houve migração de parlamentares. Casos da Bahia e Goiás, controlados pelos grupos liderados pelo prefeito ACM Neto e pelo senador Ronaldo Caiado. A exemplo do que vem acontecendo com o PMDB que discute a criação de uma nova sigla para tentar fugir do desgaste que sofre em nível nacional, o DEM também está pretendendo mudar de nome.

Tirica diz estar envergonhado e anuncia desistir da política

Em seu primeiro e provável único discurso na tribuna da Câmara desde que foi eleito pela primeira vez em 2010, o deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR), anunciou na quarta-feira (06), que não vai concorrer à reeleição. Em rápida fala, ele disse que vai abandonar a vida política por ter se decepcionado com o trabalho parlamentar. Em agosto passado, ele anunciou sua intenção de deixar a política. “Subo nessa tribuna pela primeira vez e pela última vez. Não por morte. Porque estou abandonando vida pública. (…) Saio decepcionado mesmo”, declarou Tiririca. Em agosto, Tirica já havia dito que estava propenso a encerrar a carreira parlamentar em 2018, quando acaba o seu segundo mandato, por estar desiludido com a política. Tiririca disputou o primeiro mandato em 2010, quando foi o deputado mais votado do País, com 1,3 milhão de votos. À época, usou o slogan “pior que está não fica”. Em 2014, foi reeleito com 1,016 milhão de votos. No segundo mandato, ele votou tanto a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) quanto a favor das duas denúncias contra o presidente Michel Temer.

Rui Costa x ACM Neto: O que eles comentam sobre as pesquisas

ACM Neto e Rui Costa demonstram prudência ao comentar os resultados das pesquisas

Pesquisa eleitoral do Paraná Pesquisas divulgada esta semana, sobre o cenário eleitoral que se desenha para 2018 tendo como os dois prováveis candidatos que irão polarizar a disputa, o governador Rui Costa (PT), que deverá buscar a reeleição e o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), apresentou o demista na frente com 49% das intenções de votos enquanto o petista aparece em com 33% 10% de crescimento de Rui em relação à levantamento anterior.  Em junho, o petista tinha 24%. Questionados pela imprensa da capital sobre os números da pesquisa, os dois políticos fizeram os comentários abaixo

RUI COSTA – “A melhor pesquisa é essa que estou fazendo trabalhando e entregando obras. Eu estou com um grande problema nestes últimos meses, que é arrumar dia para inaugurar obras. Está faltando dia para tanta inauguração. Esse é um bom problema que todo gestor gostaria de ter”. Rui afirmou ainda que não é “ingênuo” para acreditar nos dados divulgados na quinta (30) e ainda questionou a credibilidade do Paraná Pesquisas, instituto que conduziu o levantamento.

ACM NETO – “Eu já disse e repito: eu não comentei no passado e nem vou comentar no presente e no futuro resultado de pesquisa. Evidente que qualquer levantamento mostra que se nós decidirmos ser candidato a governador estamos na dianteira e isso é muito bom. Motivo para ser comemorado, mas nem por isso aumentará ou diminuirá na minha decisão de ser candidato. 2017 ainda está em curso. Quando 2018 chegar nós vamos tratar de eleições”.

Paraná Pesquisas: Neto mantém vantagem com 49%; Rui obtém 33,7%

Governador Paulo Souto (PT) e o Prefeito de Salvador ACM Neto (DEM)  avaliados em pesquisa

Levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado nesta quinta-feira (30) indica que o prefeito ACM Neto (DEM) mantém margem acima do governador Rui Costa (PT) na disputa pela eleição para o governo do Estado em 2018. O democrata obteve 49% e o petista 33,7%. Roberto Tadeu da Luz (PRTB) e Fábio Nogueira (PSOL) estão bem distantes na concorrência, pontuando, respectivamente 2% e 1,5%. Dos entrevistados, 7,8% disseram que não escolheriam nenhum dos candidatos e 5,9% não souberam ou não opinaram. No segundo cenário, um segundo turno entre Neto e Rui, o prefeito ainda permanece à frente, com 50,6% contra 35,8%. A distância entre eles era maior em junho: Neto tinha 58,4% (uma queda, portanto, de 7,8 pontos percentuais)  e Rui, 28,8% (uma elevação de 7 pontos percentuais).

Nesta simulação, 8,2% afirmam que não escolheriam nenhum dos candidatos e 5,5% não souberam ou não opinaram. Questionados sobre a preferência entre Rui Costa e o ex-governador Jaques Wagner, o atual chefe do Executivo leva a melhor: 49,4% o preferem como candidato e 26,3% escolheram Wagner. Entre os entrevistados, 19,5% não optariam por nenhum dos dois petistas e 4,8% não souberam ou não opinaram. A pesquisa ainda avaliou o potencial eleitoral do governador: 46,6% responderam que poderiam reelegê-lo, enquanto 20,6% declararam que com certeza votariam nele. Um número maior de eleitores (29,8%) disseram que não votariam nele de jeito nenhum. Apenas 1,7%, não o conhece suficientemente para opinar e 1,4% não souberam ou não opinaram. No caso de Neto, um número menor (34,7%) de eleitores declararam que poderiam votar nele, mas mais pessoas afirmaram que com certeza o escolheriam (32,3%). A rejeição é similar, com uma diferença de apenas 1 ponto percentual (30,8%). O índice dos que dizem não conhecê-lo suficientemente bem para opinar é de 1,4% e 0,8% não souberam ou não opinaram. Foram entrevistados 1.576 eleitores em 72 municípios baianos entre os dias 16 e 21 de novembro de 2017. A margem de erro é de 2,5% e o grau de confiança, 95%.  (Bahia Notícias)

FHC defende em publicação que o PSDB desembarque do governo Temer

FHC defende que a saída tucana do governo Temer aconteça ainda este ano

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, em artigo assinado na edição de domingo, 5, do jornal “O Globo”, defende o afastamento do seu partido, o PSDB, do governo e da base aliada do presidente Michel Temer. O posicionamento do cardeal tucano surpreendeu o núcleo do Palácio do Planalto e, a percepção é de FHC decidiu sair de cima do muro e apoiar explicitamente as teses defendidas pelo correligionário, senador Tasso Jereissati.  Com isso, o grupo do PSDB que deseja o desembarque do governo Temer ganhou força. A argumentação do ex-presidente confronta com a tese do senador Aécio Neves, ex-presidente do PSDB, que em reconhecimento ao apoio recebido do presidente Temer, no episódio da cassação do seu mandato, tem pressionado o partido a manter a aliança com o governo. “A argumentação de Fernando Henrique é pragmática: caso não deixe o governo Temer ainda em 2017, os tucanos serão coadjuvantes no processo sucessório de 2018. E ele ainda faz um alerta, ao citar as mãos de tucanos chamuscadas de inquéritos, numa referência mais direta ao caso de Aécio Neves, que tem causado forte desgaste ao partido. A avaliação entre os tucanos é que a posição do ex-presidente deve enfraquecer a “ala Jaburu” e forçar o governador Geraldo Alckmin, nome mais forte do partido para 2018, a defender a tese do desembarque”.

Pé Roxo admite que poderá disputar vaga na Assembleia Estadual

Ex-vereador Pé Roxo, PT

O ex-vereador José Carlos Pereira – Pé Roxo (PT) admitiu em entrevista na manhã desta terça-feira, 24, ao programa Bahia Ponto a Ponto (Radio Povo FM), que poderá concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa Estadual, nas eleições de 2018. “Essa possibilidade está sendo avaliada pelo partido. Mas as chances são reais”, antecipou. Pé Roxo exerceu mandato de vereador de 2013 a 2016. Nas eleições municipais de 2016, o ex-vereador decidiu não concorrer à reeleição e integrou chapa majoritária, na condição de candidato a vice, do ex-candidato a prefeito Tadeu Cafezeiro (PDT).

Leur Júnior minimiza “efeito Geddel” no PMDB e defende o partido na majoritária de ACM Neto

Leur Júnior vislumbra possibilidades de ser candidato a deputado federal, senador ou vice-governador

Em entrevista que concedeu ao site Bahia Notícias, em Salvador, o deputado estadual Leur Lomanto Júnior (PMDB), adotou um comentário ameno com relação as acusações que pairam sobre a ex-maior liderança peemedebista no estado, Geddel Vieira Lima [preso pela Polícia Federal no dia 8 de setembro, após ter sido encontradas em um apartamento alugado a ele, malas e sacolas com R$ 51 milhões]. “Eu sempre disse que o PMDB é maior do que qualquer nome ou qualquer pessoa. Se Geddel cometeu algo, ele vai ter que responder pelo que cometeu”. Na avaliação de Leur Júnior, o PMDB continua tendo força para pleitear um espaço na majoritária tendo citado como grande lideranças da sigla na Bahia, os cinco deputados estaduais,  o prefeito de Vitória da Conquista, Herzem Gusmão, o vice-prefeito de Feira, Colbert Martins, o vice-prefeito de Itabuna, Fernando Vita e o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, ”então temos uma musculatura grande para participar de qualquer chapa majoritária”, disse. Leur revelou ainda não acreditar que o PMDB tenha potencial para bancar uma candidatura própria ao governo do Estado caso a sigla fique de fora da chapa majoritária encabeçada pelo DEM. O líder oposicionista admitiu que está pavimentando voos maiores para 2018: quer subir mais um degrau na carreira política e ser deputado federal. Entretanto, não descartou a hipótese de integrar a chapa de Neto como candidato a senador ou até vice-governador. Tudo, no entanto, vai depender da demanda do partido. “O meu nome vai estar sempre à disposição para representar o partido em qualquer posição que ele almeja”, afirmou.

Representação de Jequié na ALBA caminha para acirrada disputa nas eleições de 2018

Euclides, Roberto, Gondim, Gilvan e Zé Cocá são postulantes a uma das cadeiras na ALBA

Com as presenças asseguradas na disputa, por parte dos deputados Euclides Fernandes (PDT) que busca a reeleição para um quarto mandato e, o deputado federal Roberto Britto (PP), que já anunciou concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa estadual em 2018, o pleito do próximo ano promete ser dos mais acirrados dos últimos anos, em termos de luta por vagas no legislativo baiano, em se tratando do município de Jequié e região do seu entorno. Enquanto o deputado estadual Leur Lomanto Júnior (PMDB), já deixa clara a decisão de não mais concorrer à Assembleia Estadual, com pretensões na Câmara, Senado ou vice-governadoria, surge com ligação direta na gestão do prefeito Sérgio da Gameleira (PSB), dois nomes para a disputa: o do professor e Secretário de Educação Roberto Gondim e o do vereador Soldado Gilvan Santana (PPS), que exerce a liderança da bancada da base do executivo na Câmara Municipal de Jequié. Nesse contexto de pré-candidaturas para o deputado estadual com base eleitoral em Jequié e região, também se coloca como nome de influência, o do jequieense Zenildo Brandão, “Zé Cocá” (PP), ex-prefeito de Lafaiete Coutinho, tem a seu favor a boa relação com o governo estadual e o trabalho no Consórcio Interfederativo, que o aproximou de vários municípios. O PSOL também poderá apresentar como candidato o professor Marcos Ferreira, caso a postulação não volte a ser pela Câmara Federal,  enquanto o PV que nas últimas eleições estaduais teve candidato próprio, ainda não se posicionou em relação a disputa de uma das cadeiras da ALBA em 2018. Uma pulverização da votação loco-regional que poderá trazer consequências não muito satisfatórias para alguns desses projetos.

Congresso promulga emenda que veda coligações e restringe propaganda a partir de 2020

O Congresso Nacional promulgou nesta quarta-feira, 4, a Emenda Constitucional que veda as coligações de partidos em eleições proporcionais e estabelece a cláusula de desempenho, que gradativamente impede a propaganda de rádio e TV e o repasse de dinheiro do fundo partidário a partidos pequenos. Aprovada na terça, 3, pelos senadores, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 33/2017 é originária do Senado, mas como foi alterada na Câmara, precisou de uma nova votação dos senadores. Caso as propostas de criação de um fundo público para financiar campanhas não sejam aprovadas até a próxima sexta-feira (6), esta será a única mudança de reforma política que valerá para as eleições de 2018.

Além de proibir coligações partidárias em eleições para deputados e vereadores, a partir de 2020, a emenda cria uma cláusula de desempenho para que os partidos só tenham acesso aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda gratuita no rádio e na televisão se atingirem um patamar mínimo de candidatos eleitos em todo o país. A partir de 2030, somente os partidos que obtiverem no mínimo 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço dos estados, terão direito aos recursos do Fundo Partidário. Para ter acesso ao benefício, os partidos também deverão ter elegido pelo menos 15 deputados distribuídos em pelo menos um terço dos estados. O mesmo critério será adotado para definir o acesso dos partidos à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. A mudança, no entanto, será gradual, começando pelo piso de 1,5% dos votos válidos e nove deputados federais eleitos nas eleições de 2018; chegando a 2% e 11 deputados eleitos, em 2022; a 2,5% e 13 eleitos em 2026, até alcançar o índice permanente de 3% e 15 eleitos em 2030.

ACM Neto tem nome cotado no DEM para presidência da República; preferência é disputar o governo da Bahia

ACM Neto participou de reunião da cúpula do DEM em Brasília

Principais lideranças do DEM em nível nacional discutiram esta semana em Brasília, o futuro da sigla e foi tomada como decisão o lançamento de uma chapa puro-sangue para disputar as eleições presidenciais no próximo ano. Figura com grande aceitação na cúpula demista, como um dos melhores quadros da sigla para a sucessão presidencial, o do prefeito de Salvador, ACM Neto, que esteve presente na reunião. De acordo com o jornalista Jairo Costa, do jornal Correio da Bahia, apesar do nome de ACM Neto estar na dianteira das preferências, a ideia foge dos planos do prefeito soteropolitano,  que tem como projeto político disputar o governo do Estado em 2018.